Romain Febvre vence na Itália

O piloto francês conquista dois primeiros títulos da temporada europeia

Romain Febvre vence na Itália
Foto: Internet Divulgação






Romain Febvre e a Monster Energy Kawasaki Racing Team conquistaram os dois primeiros títulos da temporada europeia de motocross, enquanto o francês disputava os títulos MX1 e Internacional da Itália.

O jovem de 29 anos de Epinal, na região de Vosges, juntou-se ao colega da equipe KRT,  Ivo Monticelli em uma partida 1-2 para Green na corrida MX1 e a dupla imediatamente distanciou na pista por quatro segundos antes de se estabelecer em um ritmo confortável em torno da pista rápida de Mantova. Febvre assumiu a liderança de seu companheiro da equipe italiana, na quinta das dezesseis voltas em busca de uma vitória indiscutível e garantir o título da série MX1. Monticelli, ainda recuperando sua condição física após uma operação de inverno, caiu da segunda posição a duas voltas do final, mas permaneceu como o melhor italiano no terceiro lugar.

Febvre imediatamente tomou a frente na primeira volta da SuperFinal, resistiu a todos os desafios para finalmente cruzar a linha de chegada com quatorze segundos à frente, finalizando um desempenho dominante no Campeonato Italiano Internacional com duas vitórias e um segundo lugar na série de três corridas. Monticelli, confirmou sua crescente confiança na KX450-SR ao avançar pelo pelotão do 12º lugar na primeira volta para terminar em terceiro novamente; a atuação o levou ao quarto, e melhor italiano, da série.

Romain Febvre: "Foi um bom fim de semana com duas boas largadas. Trabalhamos muito neste ponto e podemos ver que somos fortes em comparação a outros grandes pilotos que também competiram nestes eventos na Itália; isto foi muito positivo, a velocidade é boa e, apesar de ainda ter sofrido um pouco com os antebraços, tive menos problemas durante a SuperFinal, agora temos algum tempo pela frente para finalizar esta preparação. Tudo está indo muito bem na equipe junto com o Ivo. Ele é uma pessoa bacana e o fato de estarmos na mesma categoria, não há rivalidade, estamos trabalhando em harmonia e é super legal trabalhar nessas condições com toda a equipe”.

Ivo Monticelli: “Já me sinto muito bem com a minha Kawasaki, embora só esteja com a moto há dois meses, tentamos algumas novas configurações esta semana e funcionaram muito bem para mim. Tenho uma sensação ainda melhor do que antes e vimo isso com o segundo melhor tempo nos treinos da manhã. A primeira largada foi muito boa com o holeshot! Eu sempre recebo uma bomba de braço nos meses de inverno e Romain passou por mim, depois Horebeek no final. O gate caiu muito cedo na SuperFinal e eu não estava pronto. Mas fiquei feliz com minha velocidade; Comecei em décimo quinto, mas imediatamente encontrei uma boa velocidade. Tentei alcançar Jeremy no segundo final, mas não ultrapassei o limite. Estou gostando muito de trabalhar com a equipe; eles me ajudam muito. Meus agradecimentos a todos eles. Foi bom ver minha família neste final de semana pela primeira vez em quatro meses, e agora estamos voltando para a Bélgica para continuar nosso treinamento".

Roan van de Moosdijk da F&H Racing Team conseguiu a pole position e ficou em segundo lugar no evento MX2, em sua estreia na corrida de 2021. O jovem holandês largou em sétimo da complicada primeira curva de Mantova, mas logo chegou a quinto e, avançando uma posição por volta com os tempos de volta mais rápidos, apesar de correr no trânsito, assumiu o segundo lugar em cinco voltas. Porém, o déficit nas duas primeiras voltas fez com que o líder da corrida já estivesse fora de alcance e, sem nenhum campeonato em jogo, a VDM se acomodou em um ritmo confortável até receber a bandeira quadriculada em segundo. Ele completou seu primeiro dia de corrida da temporada com um quinto lugar para 450 na SuperFinal.

Roan van de Moosdijk: “Hoje foi a nossa primeira corrida com a Kawasaki 2021 e já na sessão de treinos cronometrados conseguimos conquistar a pole. Minha largada não foi boa na corrida de MX2, em torno da décima posição. Eu logo voltei para o segundo lugar, mas depois peguei alguma bomba de braço e não consegui fechar o espaço para o líder. Na SuperFinal encontrei boas linhas e cheguei em quinto lugar contra a 450. Estou contente com a moto e a suspensão funcionou bem, mas agora temos de melhorar as largadas".

 

Crédito: Kawasaki Racing Team