Conduzir motocicletas em rodovias exige atenção redobrada

Campanha da CCR AutoBAn busca desenvolver comportamento seguro entre motociclistas que utilizam as rodovias;

Conduzir motocicletas em rodovias exige atenção redobrada



A condução de motocicletas em rodovias exige do motociclista atenção e cuidado redobrados. Segundo o coordenador de tráfego da CCR AutoBAn, João Moacir da Silva, alguns fatores, como velocidade maior em relação ao ambiente urbano e o tráfego de veículos pesados, como caminhões e carretas, requerem que o motociclista adote o comportamento seguro, de maneira a permitir que o condutor de motocicletas antecipe eventuais situações de risco e, assim, possa evitar acidentes. 

Entre as medidas, destaca o coordenador, estão o respeito à velocidade da via e o posicionamento da motocicleta nas faixas de rolamento.  "O motociclista deve evitar trafegar pelo corredor. Este tipo de prática dificulta que veículos maiores, como caminhões e carretas, possam enxergar a motocicleta, o que aumenta o risco de acidentes", explica. "Se o motociclista sofrer uma queda – além dos ferimentos decorrentes dela –  poderá ser atropelado por outros veículos. Por isso, sempre reforçamos a orientação do ver e ser visto, que no caso daqueles que utilizam motocicletas, é de fundamental importância", completa.

Com o objetivo de oferecer orientação sobre condução segura de motocicletas em rodovias, CCR AutoBAn, concessionária que administra o Sistema Anhanguera-Bandeirantes, Polícia Militar Rodoviária (PMRv) e ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) realizaram campanhas, na praça de pedágio de Campo Limpo, no km 39 da pista norte – sentido Interior – da Rodovia dos Bandeirantes (SP-348), trecho bastante utilizado principalmente por motociclistas profissionais que realizam entregas entre São Paulo, Jundiaí e Campinas.

Durante a campanha, colaboradores da CCR AutoBAn e da PMRv distribuiram folhetos sobre a importância da adotação do comportamento seguro, da necessidade de respeito às normas de trânsito, da utilização dos equipamentos de proteção individual e da manutenção correta da motocicleta. Os participantes também receberam frasco de álcool líquido 70%, que foi disponibilizado pela parceria com a Coperalcool e com seus fornecedores.

Em 2020, cerca de 40% das vítimas fatais no Sistema Anhanguera-Bandeirantes estavam em ocorrências envolvendo motocicletas, embora o tráfego deste tipo de veículo corresponda a aproximadamente 2,5% do total.