Dicas para sua moto ser ainda mais econômica

Conversamos com especialistas para saber como você pode gastar menos combustível rodando com a sua motocicleta.

Dicas para sua moto ser ainda mais econômica
Fonte: Honda Motos






Quem anda de moto sabe: uma das grandes vantagens desse tipo de veículo é economizar combustível – e quem ainda não pilota, precisa conhecer! Mais leves e com motores menores do que os automóveis, as motocicletas percorrem mais quilômetros com um litro de gasolina ou etanol do que os veículos de quatro rodas. Um scooter Honda Elite 125, por exemplo, chega a fazer 53,8 km/litro no uso urbano.

Não por acaso, a moto é a opção de quem deseja economizar na hora de parar no posto. Mas não só. No caso de entregadores, que ajudaram e estão ajudando a economia a funcionar em meio à pandemia, gastar menos combustível também faz a renda aumentar no fim do mês.

Pensando nisso, conversamos com especialistas da Honda que deram dicas sobre como economizar (ainda mais) combustível com a sua moto. Confira:

1 – Manutenção em dia

A primeira dica para sua moto gastar pouco combustível é cuidar dela. “Siga o plano de manutenção da sua Honda e faça todas as revisões indicadas no Manual do Proprietário”, recomenda o gerente geral de serviços e pós-venda da Honda Motos, Marcelo Campagna. Para quem perdeu ou comprou uma Honda usada, ele ensina ser possível visualizar ou fazer o download do manual no Site da Montadora https://www.honda.com.br/motos/modelos

Segundo ele, nas revisões do plano de manutenção são verificados diversos itens, entre eles filtro de ar e velas, que contribuem para o bom funcionamento do motor. As trocas de óleo, nos intervalos recomendados, e o filtro de óleo também devem estar em ordem – e são inspecionados nas revisões. “Recomendamos sempre a substituição por peças originais Honda que foram desenvolvidas pela fábrica para extrair o melhor rendimento da sua moto”, alerta Marcelo.

2 – Combustível de qualidade

Outro fator importante, segundo o executivo da Honda, é a qualidade do combustível. Embora seja difícil saber se a gasolina ou etanol que você coloca no tanque tem qualidade, Marcelo Campagna afirma que o cliente deve procurar postos de bandeiras reconhecidas e desconfiar de preços muito abaixo dos praticados no mercado. Prefira postos de sua confiança, onde já abasteceu anteriormente e não teve problemas no funcionamento do motor ou na média de consumo.

“É o famoso barato que sai caro”, afirma Leonardo Donato, Gerente dos Centros Educacionais de Trânsito Honda (CETH) no Brasil. Segundo Leonardo, um combustível ruim não terá uma queima correta e, com isso, irá prejudicar o rendimento da moto. Ele também dá dicas de como reconhecer uma gasolina ou etanol ruins. “A moto fica falhando, você desconcentra da pilotagem. Também precisa ficar acelerando toda hora e acaba gastando mais”, diz.

3 – Pneus originais e calibrados

Para sua moto gastar ainda menos combustível, outra dica do gerente geral de peças e serviços da Honda Motos é manter o pneu sempre calibrado. “Com um pneu murcho a área de contato com o solo é maior, aumentando assim o atrito. Mais atrito significa mais resistência. Com isso, o motociclista precisa acelerar mais e acaba gastando mais combustível”, explica. Segundo Marcelo, o ideal é calibrar os pneus, ao menos, uma vez por semana. Pneus fora da calibragem ou carecas também interferem na sua segurança, relembra o especialista em pilotagem Leonardo Donato.

Os especialistas da Honda concordam ainda que pneus fora das medidas originais podem comprometer o comportamento dinâmico da moto, além de gastar mais combustível. “Se colocar um pneu mais largo do que o projetado e testado pela fábrica também vai causar mais atrito e mais gasto de combustível”, afirma Marcelo.

4 – Pilote racionalmente

Além da manutenção da moto, a forma como você pilota influencia, e muito, no consumo. Pilote de forma racional e não desperdice combustível. Muitos entregadores e motociclistas exageram e aceleram até o limite, atingindo a faixa vermelha do conta-giros, quando o motor corta, para só então trocar de marcha.

“Não tem necessidade de atingir a faixa de corte. É desperdício de combustível”, ensina Leonardo. Segundo ele, a potência e o torque máximo do motor não estão na faixa de corte, pelo contrário. Ou seja, nessa situação, o motor está jogando combustível fora e sofrendo desgaste, sem necessidade. O ideal, de acordo com o gerente dos CETH, é trocar as marchas no tempo certo, e acelerar progressivamente. Até mesmo, nas saídas de semáforo. Isso faz com que você preserve os componentes do motor e câmbio e, de quebra, gaste menos combustível.

5 – O motor também freia

Outra dica importante é aprender a usar o freio motor, uma característica dos motores quatro tempos. Mas o que é isso? Já experimentou tirar a mão do acelerador quando o semáforo está fechado? A própria resistência da compressão do motor ajuda a moto a reduzir a velocidade, quando você não está acelerando. Isso é o que chamam de “freio motor”.

Respeite os limites de velocidade e, ao perceber que será preciso reduzir a velocidade por algum motivo, como fazer uma curva, acione os freios, mas também tire a mão do acelerador e use o câmbio para perder velocidade. “Aproveite o freio motor, reduza as marchas e contorne a curva com segurança e na velocidade compatível com o local”, ensina Leonardo. Ele acrescenta que, dessa forma, você também diminui o desgaste dos componentes dos freios, como lonas, pastilhas e discos.