Novos recordes e a quinta vitória do sul-africano Brad Binder

Feitos fecham a última etapa da Moto2 em 2019

Novos recordes e a quinta vitória do sul-africano Brad Binder






O Campeonato Mundial da Moto2 de 2019, com motor triplo Triumph de 765 cc, provou ser um sucesso incrível, e isso se manteve na última prova do ano, no GP de Valência, na Espanha, no último domingo. Vários novos recordes do circuito foram quebrados, mantendo a tendência de toda a temporada, uma vez que o novo motor Triumph realmente redefiniu a categoria de Moto2. Depois de Jorge Martin liderar a corrida, seu companheiro de equipe da Red Bull KTM Ajo, Brad Binder, assumiu o comando em uma batalha tensa com Thomas Luthi, da Dynavolt Intact GP. A dupla estava lutando com unhas e dentes pela vitória na corrida e também pela segunda posição na classificação geral do Campeonato Mundial. Com um revezamento na primeira posição, foi Binder quem conseguiu uma margem suficiente para conquistar sua quinta vitória da temporada, igualando-se ao campeão da temporada em 2019, o espanhol Alex Márquez, da EG 0,0 Marc VDS.

Em uma temporada incrivelmente disputada, quase metade do grid se classificou na primeira fila nas 19 corridas e houve seis vencedores e 13 finalistas diferentes no pódio. Os recordes continuaram também em Valência, com a volta mais rápida e a maior velocidade máxima. Isso significa que, em 2019, foram conquistados, um total de 14 novos recordes de voltas, 12 de voltas mais rápidas e 18 de velocidades máximas, incluindo 301,8 km/h na Austrália – a maior já obtida na Moto2. Um novo recorde foi estabelecido com o motor da Triumph em 16 das 19 corridas deste ano; duas das três restantes foram interrompidas pela chuva. Depois de mais de 300.000 km de corridas, Marquez conquistou sua primeira vitória mundial da Moto2, três pontos à frente de Binder, que estava apenas nove pontos à frente de Luthi. Estes resultados foram obtidos com um total máximo de 475 pontos no campeonato. A Flexbox HP40 conquistou o titilo por equipe com apenas quatro pontos de vantagem, e Fabio di Giannantonio foi o novato do ano em Valência.

“Nossa primeira temporada passou tão rápido desde a corrida de abertura, no Qatar. Estamos muito satisfeitos com a maneira como tudo evoluiu – desde como foram acirradas as corridas e a quantidade de diferentes pilotos que chegou ao pódio ao longo do ano até a confiabilidade e desempenho absoluto com tantos recordes para o nosso motor triplo de 765 cc. Foi uma temporada incrível e estamos muito orgulhosos. Parabéns novamente a Alex Marquez e à equipe VDS por sua incrível vitória no campeonato e à equipe Flexbox HP40 de Sito Pon por terminar em primeiro na classificação de equipes em 2019.  Também foi uma alegria para os fãs ver o quão disputado foi o segundo lugar no campeonato, com Brad Binder finalmente ganhando esse prêmio a apenas duas voltas do final de toda a temporada”, afirmou Steve Sargent, diretor de Produto da Triumph. Gostaríamos de agradecer imensamente a todas as equipes e a todos os pilotos por seu papel em tornar a Moto2 deste ano tão emocionante. Mal podemos esperar por 2020”, acrescentou ele. O motor de corrida Triumph Moto2 765cc é um desenvolvimento da motocicleta de estrada Street Triple RS 76 5cc, líder da sua categoria, que produz  140 cv de potência.