Entrevista especial: Marcelo Dias

Entrevistamos o cinegrafista que é apaixonado pelo off road, um dos maiores disseminadores do enduro de regularidade na atualidade.

Entrevista especial:  Marcelo Dias
Entrevista especial:  Marcelo Dias

Hérculo Onofre:  Marcelo dias, nos conte um pouco sobre você. Quais suas origens, estado, cidade e formação.

Marcelo Dias: Sou natural de Juiz de Fora - MG, tenho 48 anos casado pai de duas meninas, sou publicitário e trabalho como editor de filmes na Produtora Vagalume filmes.

Hérculo- Todos nós, pilotos, tivemos um início semelhante no Off Road. Como você se inseriu no meio, foi fazendo trilhas, enduros ou já na comunicação?

Marcelo: Eu trabalho com comunicação desde os 11 anos. Meu irmão mais velho me levou para uma produtora com essa idade. Com 14 anos eu já era um iniciante de câmeraman e era apaixonado por motocross. Tinha coleção de revistas de motos..

Hérculo- Hoje você é referência na comunicação visual. Todos acompanhamos sua rotina de viagens, gravação e edição dos vídeos. Quando e como você encarou esse desafio de cobrir as provas?

Marcelo: Em 1988 eu conheci o Manoel Resende. Ele tinha uma concessionária da Yamaha em Juiz de Fora e organizava uma Copa PEPSI de Enduro. Assisti a largada uma vez e falei : ainda vou filmar isso!  Em 1989 eu corri uma etapa dessa copa de DT 180, e quando chegou o ano de 1990 o Manoel criou o Ibitipoca Off Road, onde eu filmei  para ser exibido num programa na TV Bandeirantes do Rio de Janeiro, e de lá pra cá filmei as 29 edições dessa prova. Em 1999 eu levei um “tombo” numa moto de asfalto e machuquei... Vendi as motos que tinha e comecei apenas a filmar os Enduros.  Em 2015 fiz a cobertura do Enduro da Independência e nos anos seguintes fui chamado para várias provas no Brasil, o que era apenas uma paixão virou meu segundo trabalho.

Hérculo: a sua empresa cobri apenas off road ou também outros seguimentos? Quantas pessoas envolvidas é necessário para a entrega do produto final e postagens no YouTube e redes sociais?

Marcelo: Na verdade eu trabalho sozinho, por ser cinegrafista e editor, eu mesmo faço as duas funções nos meus vídeos, além das entrevistas também serem feitas por mim.

Hérculo: Vemos você muito engajado no Enduro de regularidade. Como você definiria a modalidade? O que lhe fez estreitar os laços e ter um convívio tão harmônico com os pilotos.?

Marcelo: Quando decidi ir além do Ibitipoca Off Road, eu achava que o Enduro de Regularidade era muito pouco divulgado, e com todo respeito mau divulgado...  Então resolvi levar minha experiência de tantos anos no IOR para outras provas também. Convivo muito tempo com os pilotos de enduro, então acaba criando um laço de amizade e respeito por ambos os lados.

Herculo: O Enduro está a cada “temporada” evoluindo, seja no Brasileiro seja nos estaduais. Especificamente o Enduro Padrão F.I.M está conseguindo um padrão de organização semelhante aos europeus. Na sua opinião, quais fatores que estão contribuindo para esse crescimento?

Marcelo: Acredito muito mais na vontade e paixão do brasileiro por off road que quaisquer outras coisas. É muito difícil organizar uma prova dentro dos padrões exigidos pelas entidades responsáveis, embora  esse seja  o caminho correto.

Herculo: Assim como a estrutura dos enduros, os aparelhos de navegação também estão evoluindo e ficando cada dia ”mais barato” começar ou experimentar o regularidade. De quando você começou a interagir com a modalidade até os dias de hoje, quais as dificuldades e vantagens dessas transições dos aparelhos de navegação?

Marcelo: Acredito que hoje com a navegação digital, facilitou demais a entrada de novos pilotos para o regularidade, mais para mim a maior beneficiada é a natureza. Não são mais jogados papéis pelas trilhas como no passado e também são menos árvores cortadas para serem feitos papéis.

 

Herculo:  Acompanhamos vários postagens de pilotos em redes socias  fazendo questão de tirar uma foto com você e até mesmo adesivando suas motos com a logo da empresa. Qual o sentimento que você tem quando ver e recebe todo esse carinho e reconhecimento? 

Marcelo: Olha, com toda sinceridade do mundo, para mim é uma honra muito grande, e olha que já fui muito criticado por isso. Pessoas dizendo que eu queria “aparecer” e tal, mas não é isso. Além de amigo, sou fã mesmo dos pilotos. É muito legal eles próprios me pedirem o adesivo, então é o que sempre digo: O que vou levar para sempre comigo desse esporte são as boas e verdadeiras amizades que fiz!

Herculo: Diante de sua trajetória off road, quais seus planos para o futuro. O que você ainda poderia  conquistar, quais as provas que ainda sonha cobrir, cabe uma internacional ainda?

Marcelo: Eu  acredito que já tenha contribuído muito pra o Enduro de Regularidade levando imagens a pessoas que nem sonhavam com esse esporte. Quando vai se aproximando do final do ano eu sempre falo: agora chega, já fiz minha parte... mais gosto tanto desse esporte que sempre adio essa aposentadoria.

Herculo:  Marcelo Dias, foi um prazer conhecer um pouco mais do seu trabalho e visão do Off Road. Espaço aberto para suas considerações finais:

Marcelo: Eu quem agradeço a oportunidade de poder falar um pouco dessa minha paixão de mais de 32 anos que é o Enduro de Regularidade, um esporte genuinamente brasileiro. Hoje olho para trás e vejo que valeu cada segundo... seja na terra, na poeira, no barro onde for. Minha dedicação pelo esporte não é 1% do que esse esporte merece, mais é feito com amor! Grande abraço a todos e VIVA O ENDURO DE REGULARIDADE!!!