Bianchini Rally/Power Husky fecha Sertões 2019 com balanço positivo

A 27ª edição teve etapas longas e exigentes, mas os pilotos completaram o roteiro com êxito

Bianchini Rally/Power Husky fecha Sertões 2019 com balanço positivo






Não foi tarefa fácil, mas a missão foi cumprida pelos competidores da Bianchini Rally/Power Husky que cumpriram o roteiro de aproximadamente 4.900 km, durante oito dias, por seis estados (MS, MT, GO, TO, PI, CE) nesta 27ª edição do Sertões, encerrada no último domingo (1), em Aquiraz, no litoral cearense. Dos 187 veículos inscritos no maior rali das Américas, 158 completaram, entre eles 57 motos, 49 UTVs e 29 Carros (Cross Country), 6 quadriciclos e 17 carros de Regularidade. Os três pilotos da equipe que participaram do Dakar 2019 – o uruguaio Javier Fernandez, Marcos Colvero e Lincoln Berrocal - aprovaram o exigente percurso. Aos 60 anos, Berrocal retornou ao grid após 16 anos, mostrando garra e vitalidade e terminou em 8º na Over 45. A dupla Javier Fernandez/Marcos Colvero, ambos pilotos de moto, estrearam nos UTVs e aprovaram a experiência, terminando em 9º na UTV Over 45. Já o cearense Adhemar Pereira, o Índio, em sua 10ª participação no Sertões, levou um tombo na metade do roteiro e precisou abandonar a prova mais cedo.

 

Único competidor estrangeiro a disputar o Sertões sete vezes, o uruguaio tem no currículo cinco participações no Dakar e, nesta edição, decidiu encarar um novo desafio e pilotar pela primeira vez um UTV. “Foi uma experiência maravilhosa andar de UTV e gostaria de repetir, assim como nas motos (já pilotou carro, motos, quadris e, agora, UTV no Sertões), e voltar o ano que vem com meu parceiro Marcos. Gostei muito do roteiro, achei que esse ano foi bem escolhido”, diz o piloto referindo-se ao amigo gaúcho que navegou pela primeira vez na categoria e também aprovou a disputa nos UTVs. Fernandez, 51 anos, que é apaixonado pelo Sertões e elogia as belezas naturais do Brasil, sobretudo pelo sertão e litoral.

Já o curitibano Berrocal manteve um bom ritmo de prova e estava entre os 20 mais rápidos da geral até que foi surpreendido por uma outra moto. “Estava vindo muito bem na prova, até que fui atropelado por um outro competidor e a batida quebrou a minha torre de navegação e, infelizmente, prejudicou todo o resultado que havia conquistado. Mas o importante é que terminei bem, com saúde, não estou cansado, comemorando com os amigos e estou muito feliz por estar aqui”, explica o piloto que completa. “Este meus 60 anos estão bem agitados. Começou com o Dakar, depois o Sertões e, em outubro, vou participar de uma etapa do Campeonato Mundial de Motocross nos Estados Unidos”, conta animado Berrocal.

 

 

Após completar a terceira etapa entre Barra do Garças (MT) e São Miguel do Araguaia (GO), Índio levou um tombo com sua moto no deslocamento final e teve um trauma na região pélvica e também na costela, mas sem fraturas, e não pode continuar na prova. Apaixonado que é pelo Sertões, o cearense decidiu acompanhar o rali nos bastidores, mas quando chegou em sua terra a vontade falou mais alto e decidiu fazer a 8º Especial, de apenas 18km, no circuito montado na praia de Aquiraz (CE). “Não foi o Sertões que imaginei para mim, mas é mais uma lição de vida que levo. Esperamos o ano inteiro para estar aqui com amigos e esse ano teria a etapa Maratona no Jalapão, região que gosto muito de pilotar, mas são coisas de rali. Ano que vem tem mais”, diz o cearense, que foi recebido na rampa de chegada pela esposa esposa e filho.